Passar para o conteúdo principal

Os Pintos Também Vão à Escola…

Inserido no Programa Eco-Escolas, da Escola Básica André de Resende, os alunos do oitavo ano (turmas A e B), na disciplina de Ciências Naturais, em articulação com Educação Visual e Espanhol, encontram-se a desenvolver o projeto “O Pinto vai à Escola”, supervisionados e orientados por uma equipa do Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária (INIAV) – Pólo de Santarém. O referido projeto visa organizar e sistematizar a incubação de ovos de galinhas das 4 raças autóctones portuguesas durante o período de desenvolvimento do pinto – 21 dias!

 

Através deste projeto pretendem-se atingir os seguintes objetivos:

  • Proporcionar aos alunos a oportunidade de adquirir uma experiência prática de produção animal;
  • Realçar a importância da sustentabilidade dos ecossistemas, nomeadamente a necessidade de preservar as raças autóctones, neste caso as raças de galinhas portuguesas;
  • Permitir aos alunos um contacto direto com os animais (pintos), essencial para uma boa estratégia de aprendizagem;
  • Aproveitar as experiências pessoais de cada aluno, dentro da área do projeto, de forma a estimular o trabalho em equipa, assim como o incentivo à inovação e diversidade.

 

Em Portugal estão oficialmente reconhecidas 4 raças autóctones de galinhas: Preta Lusitânica, Amarela, Pedrês Portuguesa e Branca. Estas raças são caracterizadas pela sua riqueza genética, elevada rusticidade e invulgar beleza. As quatro raças autóctones existem em todo o País, mas em número reduzido (menos de duas mil fêmeas por raça criadas em linha pura), sendo, por isso, consideradas em risco de extinção.

Estas raças de galinhas são normalmente criadas em sistemas tradicionais de produção com os animais em liberdade, em capoeiras e/ou ao ar livre, alimentando-se de grão, erva, couves e outros produtos excedentários das explorações. Os animais podem escolher o que querem comer. São animais extremamente rústicos e de fácil criação.

Este tipo de produção avícola traz benefícios do ponto de vista da sustentabilidade social e ambiental. Exige reduzido consumo de água, e de medicamentos, e não causa problemas na emissão de efluentes, gases e odores, logo tem diminutos impactos ambientais. Desta forma, os agricultores têm ao seu dispor uma carne excelente e ovos de ótima qualidade, de caráter exclusivamente caseiro, a baixo custo de produção e com o melhor meio de prevenção dos impactos negativos no meio ambiente.

 

A ECLOSÃO dos nossos PINTOS está prevista para o dia 10 DE FEVEREIRO.

Ficheiros
cartaz (189.29 KB)