Passar para o conteúdo principal

Oficina de Expressão Dramática/Improvisação a partir do conto tradicional “ O Coelhinho Branco”

RESPONSÁVEL

Maria Manuela Branco-Cavas Murteira

 

INTERVENIENTES

As 4 turmas da escola do B. da Câmara, em sessão conjunta, no campo de jogos

 

DESIGNAÇÃO DO PROJETO

Oficina de Expressão Dramática/Improvisação a partir do conto tradicional “ O Coelhinho Branco”

 

PREPARAÇÃO

Reescrita do conto.

Escolha das músicas e sua gravação.

Escolha de um personagem do maravilhoso infantil, para ser o animador da sessão, tendo sido escolhido o “Pirata Barnabé” e o seu tesouro.

Adereços para os 18 “atores” escolhidos aleatoriamente, no público.

Experimentação da aparelhagem de som da escola

 

OBJETIVOS:

Comemorar o mês internacional das bibliotecas escolares—MIBE.

Recriar, através da área de expressão dramática, um conto tradicional – O coelhinho Branco.

Apresentar uma forma diferente de contar uma história.

Organizar uma Oficina de Conto, de modo a que a mesma, possa ser realizada noutras escolas do agrupamento.

 

DESCRIÇÃO/TEXTO EXPLICATIVO

OFICINA DE CONTO/ DRAMATIZAÇÃO / IMPROVISAÇÃO : “ O COELHINHO BRANCO”

 

O pirata Barnabé sai da biblioteca escolar ao som de um tango. Leva com ele o seu tesouro. Este contém ouro, prata, brilhantes, diamantes e outra grande riqueza, uma história muito antiga, para contar a todos os alunos da escola, aos professores e técnicas operacionais. É a história do Coelhinho Branco.

O pirata pergunta quem quer fazer de Coelhinho Branco, e coloca os adereços nesse personagem. Depois, seguem -se os outros, a vaca, o cão, o galo, a formiga rabiga e a cabra cabrês.

Para enriquecer a história, o pirata Barnabé introduz mais personagens, a floresta, o rio Azul, a porta da casa do coelhinho, o sol, a lua, a noite e as estrelas. O público participa sendo o vento e as flores do campo.

Regras: os personagens têm que fazer a mímica, falar ou cantar conforme o que o narrador, pirata Barnabé, vai contando.

Seguidamente, o pirata faz a apresentação do “ teatro” , e dá início à dramatização que se inicia com uma linda música clássica, adágio em sol menor, de Albinoni .

No final da dramatização/improvisação os atores vão à boca de cena e agradecem 3 vezes ao público.

O pirata Barnabé fica para um pequeno diálogo, sobre os ensinamentos da história: a higiene oral e corporal do Coelhinho, o seu amor pela natureza, a sua preocupação com a alimentação saudável, o seu desleixo com a porta da sua casa, a amizade , a coragem da formiguinha…

A oficina termina, como começa, ao som de um tango que o pirata dança, despedindo-se, fazendo adeus a todos.

 

DURAÇÃO DA ATIVIDADE NO DIA DA APRESENTAÇÃO

1 hora

 

AVALIAÇÃO

A avaliação por parte dos alunos será feita no final da atividade, em diálogo com o Pirata Barnabé.

É entregue uma ficha de avaliação da atividade, aos professores.

É pedido um trabalho aos alunos sobre a dramatização, poderá ser um desenho, frases, um texto uma carta ou outro …